Giubs Awards 2014 – Pré Indicados!

Pois bem, este ano eu decidi levar a sério as premiações, e fazer uma minha (por não concordar com a maioria). Abaixo está a lista de pré-indicados, e depois que eu terminar de assistir todos os filmes (séries serão avaliados por episódios finais, iniciais de temporadas e/ou episódios aleatórios) eu farei a lista de indicados e depois de algum tempo (após digerir tanta coisa) os ganhadores. Os indicados serão escolhidos por somente minha pessoa, considerando tudo o que eu senti vendo o filme. Não escolherei nenhum indicado por ter ganhado (futuramente) o Oscar, o SAG ou qualquer outra premiação importante. Então, muito provavelmente irá ter alguns indicados bem diferentes do Oscar (por exemplo) e os vencedores também. Vale dizer o óbvio, somente serão indicados os filmes/atores/atrizes que estão na lista de pré-indicados abaixo.

Minha meta é estar publicando a lista de ganhadores até Agosto de 2015. Sim. Irá demorar. A quantidade de “items” na lista de pré-indicação não segue NENHUMA regra ou limite, já na lista de indicados seguirá o limite de no MÁXIMO 8 (oito) indicados para Melhor Filme e todas as outras apenas 5 (cinco) indicados, ou seja, irei ter que eliminar MUITA coisa dessa lista de hoje.

Sem mais demoras, abaixo a lista de PRÉ-INDICADOS.

MELHOR FILME

Booyhood de Richard Linklater

Birdman de Alejandro González Iñarritu

Whiplash de Damien Chazelle

Foxcatcher de Bennet Miller

Gone Girl de David Fincher

Nightcrawler de Dan Gilroy

The Grand Budapest Hotel de Wes Anderson

The Theory Of Everything de James Marsh

Still Alice de Richard Glatzer e Wash Westmoreland

The Imitation Game de Morten Tyldum

The Interview por Evan Goldberg e Seth Rogen

Frank de Lenny Abrahamson

The One I Love de Charlie McDowell

Unbroken por Angelina Jolie

Wish I Was Here de Zach Braff

Interstellar de Christopher Nolan

American Sniper de Clint Eastwood

Wild por Jean-Marc Valleé

Inherente Vice por Paul Thomas Anderson

MELHOR ATOR 

Michael Keaton por Birdman

Bradley Cooper por American Sniper

Jake Gyllenhaal por Nightcrawler

Steve Carell por Foxcatcher

Miles Teller por Whiplash

Eddie Redmayne por The Theory Of Everything

Ben Affleck por Gone Girl

Benedict Cumberbatch por The Imitation Game

Zach Braff por Wish I Was Here

Mark Duplass por The One I Love

Jack O’Connell por Unbroken

Joaquin Phoenix por Inherent Vice

James Franco por The Interview

Matthew McConaughey por Interstellar

MELHOR DIRETOR

Richard Linklater por Boyhood

Alejandro González Iñarritu por Birdman

Damien Chazelle por Whiplash

Bennet Miller por Foxcatcher

David Fincher por Gone Girl

Dan Gilroy por Nightcrawler

Wes Anderson por The Grand Budapest Hotel

James Marsh por The Theory Of Everything

Richard Glatzer e Wash Westmoreland por Still Alice

Morten Tyldum por The Imitation Game

Lenny Abrahamson por Frank

Charlie McDowell por The One I Love

Zach Braff por Wish I Was Here

Christopher Nolan por Interstellar

Clint Eastwood por American Sniper

Jean-Marc Valleé por Wild

Paul Thomas Anderson por Inherente Vice

MELHOR ATOR COADJUVANTE

J.K. Simmons por Whiplash

Ethan Hawk por Boyhood

Edward Norton por Birdman

Michael Fassbender por Frank

Zach Galifianakis por Birdman

Mandy Patinkin por Wish I Was Here

Tyler Perry por Gone Girl

Mark Ruffalo por Foxcatcher

Seth Rogen por The Interview

MELHOR ATRIZ

Anne Hathaway por Interstellar

Julianne Moore por Still Alice

Marion Cotillard por Deux Jours, Une Nuit

Felicity Jones por The Theory Of Everything

Kate Hudson por Wish I Was Here

Jennifer Aniston por Cake

Elisabeth Moss por The One I Love

Rosamund Pike por Gone Girl

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Naomi Watts por Birdman

Kristen Stewart por Still Alice

Emma Stone por Birdman

Keira Knightley por The Imitation Game

Laura Dern por Wild

Patricia Arquette por Boyhood

MELHORES EFEITOS VISUAIS

Interstellar

X-Men: Days Of Future Past

Captain America: The Winter Soldier

Guardian Of The Galaxy

Birdman

Boyhood

The Maze Runner

MELHOR ROTEIRO

Richard Linklater por Boyhood

Damien Chazelle por Whiplash

Alejandro G. Iñérritu, Nicolas Giacobone, Alexander Dinelaris e Armando Bo por Birdman

Zach Braff e Adam Braff por Wish I Was Here

Justin Lader por The One I Love

Jon Ronson e Peter Straughan por Frank

Jonathan Nolan e Christopher Nolan por Interstellar

E. Max Frye e Dan Futterman por Foxcatcher

MELHOR EDIÇÃO

Boyhood

Birdman

Whiplash

American Sniper

The Grand Hotel Budapest

The Imitation Game

MELHOR SÉRIE DRAMÁTICA

American Horror Story

House Of Cards

True Detective

The Affair

The Flash

Gotham

Derek

Homeland

Mad Man

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA

Modern Family

Shameless

Wokaholics

Transparent

Veep

Sillicon Valley

Louie

Girls

Community

Jane The Virgin

MELHOR ATOR EM SÉRIE OU MINI-SÉRIE

Matthew McConaughey por True Detective

Danny Pudi por Community

Woody Harrelson por True Detective

Blake Anderson por Workaholics

Ken Jeong por Community

Kevin Spacey por True Detective

Jeffrey Tambor por Transparent

William H. Macy por Shameless

Adam DeVine por Workaholics

Steve Howey por Shameless

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE OU MINI-SÉRIE

Emmy Rossum por Shameless

Julianna Margulies por The Good Wife

Claire Danes por Homeland

Emma Roberts por American Horror Story

Kathy Bates por American Horror Story

Alison Brie por Community

Julia Louis-Dreyfus por Veep

MELHOR ANIMAÇÃO/DESENHO EM SÉRIE

American Dad

Family Guy

Adventure Time

Regular Show

Ricky and Morty

Bob’s Burgers

BoJack Horseman

Archer

South Park

MENÇÕES HONROSAS (dois “ganhadores”)

Essa categoria irá visar mencionar atores,atrizes e filmes que não foram indicados, portanto será a única categoria que só será relacionada a partir da lista dos indicados.

É ISSO! ATÉ DAQUI ALGUMAS SEMANAS COM A LISTA DE INDICADOS!

Anúncios

(sem assunto)

Acho que nunca fiquei tanto tempo sem escrever. Quero dizer, escrever REALMENTE, não aqueles monte de parágrafos sem sentidos que mantenho no bloco de notas do meu celular, mas sim algo com começo, meio e fim, que compartilhe uma idéia, um pensamento, um sentimento ou até mesmo uma opinião.

O motivo dessa minha distância foi e não foi o meu notebook ter quebrado. O que eu quero dizer com isso, é que tem uma série de motivos que me desmotivaram a escrever. Coisas profundas e coisas idiotas. Sem meio termo. Engraçado como basicamente TUDO que você faz diariamente, é uma simples “fórmula da vida“, que se chama HÁBITO. Claro, quando você passa o dia inteiro em casa, você (se você gostar) vai escrever mais, mas não é disso que eu estou falando. O que quero dizer, é que quando se trabalho e estuda, você fica com um tempo rídiculo livre e os finais de semana passam igual um tiro, então, se você tira um tempo pra se dedicar a alguma coisa, bem, você está se dedicando MESMO a esta coisa. E pra mim, “esta coisa” foi escrever. Durante uns bons anos, mas confesso que havia perdido um pouco o tesão. Da escrita. Do romance. Da idéia de se casar. Da idéia de namorar. Da idéia de compartilhar. Da idéia de ser bom em alguma coisa (essa eu ainda estou tentando me fazer acreditar, te juro).

Estranho o quanto sua vida muda enquanto você está reclamando internamente que a sua vida nunca muda nada.

Estou voltando a escrever aqui para exercitar essa prática da escrita novamente. Sinto que preciso!

Isso é pra trazer mais qualidade a vida de Jeff e de Slater. 

Não vejo a hora de escrever mais e mais e mais e mais e mais e mais!

O Barulho Do Mar Para Alguém Que Morreu Afogado

Menina T,

Olá. Sei que sou ninguém e muito menos serei somente olhando pra você, do outro lado do balcão. Provavelmente, já ouvi dizer uma coisa ou outra sobre você, coisas que já esqueci ou provavelmente já transformei em mais outras coisas dentro de mim.Me disseram que você gostava de dormir sozinha, e que a noite é sua parte favorita do dia. Quando o barulho da sua respiração te incomoda ao ponto de você querer ligar a televisão. Eu deduzi pelo fato ao lado, que você chorou muito alguma vez na sala de cinema. Eu deduzi da minha dedução á esquerda, que as vezes suas mãos tremem e você as esconde no bolso do seu blusão. Aquele blusão cinza, sem-zíper, que você só usa quando está se sentindo triste. Eu escolhi pelo meu poder de ser incrivelmente patético, escrever um poema pra ti, somente em minha imaginação. O poema virou história dentro da minha cabeça. Você é pequena e seria legal te guardar na mochila junto com meu notebook e um pacote de Negresco. Você ficaria confortável no vão que uma vez foi do meu estojo. Eu cheguei ao ponto de me imaginar conversando com os integrantes do Mayday Parade sobre Simpsons, quando tento escrever alguns versos no meu porão. Eu não tenho porão, mas eu acho que você iria achar legal eu ter um porão e por isso eu falei que tinha um porão. Mas é, eu não tenho um porão. Isso é sobre você e sobre ninguém, mas basicamente é sobre ser alguém que não vai até o fim. Isso não é uma metáfora e nem tem ligação com nada. É um fio de uma idéia escapada. São linhas tortas de alguém perturbado. O ponto preto que uma vez fora dourado. O barulho do mar para alguém que morreu afogado.

 

Lepata! Esse post é sobre música!

Uns meses atrás meu melhor amigo me falou “Mano, já ouviu Lepata?”, falei que não e ele me passou/me mostrou algumas músicas e eu simplesmente falei “Ah…não são ruins…mas não são nada demais”.

Amigos, eu errei ali.
Errei RUDE. Jesus-Menino talvez jamais me perdoará por esse erro. ME PERDOA JESUS EU SOU UM CARA MANEIRO

Um gif sem sentido porque eu quero.

Um gif sem sentido porque eu quero.

Enfim, os cara lançaram um CD chamado “Algo Pra Dizer”, em 2011, que realmente é sensacional! Eu, particularmente, acabei gostando de TODAS músicas, coisa que é bem rara na minha vida. Minha música favorita é “Analista”, logo depois vem as queridas e sinceras MESMO, “Sinceridade” / “Espero” / “Mochileiro”. Ouvir essa última, sentado na areia e olhando o mar foi uma experiência bem bacana vivida pelo carinha aqui. Contando uma coisa óbvia, eles são do SUL do país, lugar onde sai MUITA banda boa, tchê! Uma baita banda pra cantar alucinado no carro!

LEPATA!

LEPATA!

Pra fazer o download do disco é bem fáaaaaaaacil! Só entrar no site dos caras (que está logo ali embaixo do post) e descer um pouco a página e clicar no ícone pra fazer o download. Me sinto um completo imbecil falando esses passos, e se você não entendeu ou mesmo assim não conseguiu fazer o download SAIA DAQUI E VÁ ARDER NO INFERNO DE VERDADE QUERO VOCÊ SENTINDO SUA PELE CAINDO JÁ PRETA DE TÃO QUEIMADA NO CHÃO.

Lendo esse post agora deu pra perceber que quando eu escrevi, eu devia estar com pouca raiva. RISOS.

AEUHAEUHAEHUA (falar Risos é tão besta)

Página do face: https://www.facebook.com/Lepata?fref=ts
Site oficial: http://www.lepata.com.br/

Ah, e o cantor tem mó black-power daora.

DEI UM TAPA NA CASA AQUI

Wazzzzzzzzzzuppp!

wazzup

Depois de um longo inverno (salve CPM22! Baita disco!) voltamos com a programação mais bagunçada da história.

Voltarei a postar com mais frequência agora, por mais que já vai acabar as minhas férias FACULDIANAS, mas tentarei! Promessa!

Mudei um pouco a carita daqui, quero deixar mais a vontade os posts, com mais facilidade para mudar um pro outro e etc! Se alguém não gostar, solicite a alteração no SAC 0800 987 345 23

A minha volta aqui foi por grande culpa da minha nova aquisição tecnológica, um mini S3, que está me dando grande TESÃO a cada dia que passa. O aplicativo do WordPress é bem bacana, e dá pra escrever bastante coisa quando bate aquela vontade. O que eu achei legal nesse tema novo do blog, é que fica tipo coluna de jornal os posts, você consegue ler sem entrar no post, e é só descer a barrinha para continuar lendo ou então ler coisas antigas. Bem fácil.

Outra coisa: não irei mais postar no twitter quando postar alguma coisa nova, e nem em nenhum outro lugar. O objetivo dessa besteira imensa é para mim mesmo ler no futuro e perceber que joguei toda minha vida no lixo, então… bem, vocês entenderam meu ponto. Então, se alguém entra aqui, coisa que eu acredito que não acontece, irá ser necessário entrar de vez em quando pra ver se tem coisa nova. Entendeu, Mãe? (Quem aqui entendeu essa piada? Eu achei hilária).

Bem, é isso.

PAPAI FOI VER UM FAMILY GUY AGORA. POKAS. CUIDA. PAPO DE FAMILY GUY.
(essas gírias dos imbecis vidalókis estão cada dia melhores)

MATANDO O TEMPO: Goku VS Super Homem

Olá. Como vão?

Abrindo mais uma sessãozinha, talvez a mais simples de todas do blog. Aqui postarei qualquer coisa que eu considero MUITO daora, e que não seja minha. Desde montagem até um cocô bem realizado na porcelana.

Sessãozinha serve como um passatempo, quando se não tiver fazendo nada, clica em “Matando O Tempo” ali do lado, e leia/assista algumas coisas, prometo que não serão chatas iguais as minhas coisas.

Enfim, pra estreiar, segue um vídeo de um FLIPBOOK (qual é, você tem que saber o que é!) da luta do Goku (qual é, você tem que saber quem é!) VS Super Homem (qual é, você— esse eu sei que você sabe). Ele é realmente muito bem feito, beirando quase a perfeição, e pra quem curtir o vídeo e a arte do carinha, no final do post estarei colocando o link do autor, e sua página no Facebook, que já conta com mais de QUARENTA MIL LIKES!

AWESOME, RIGHT?!

Conheça mais sobre o autor, e seus outros trabalhos!
https://www.facebook.com/pages/Etoilec1-Officiel/474180279294675?fref=ts

PS: Prometo que vou tentar maneirar na cultura nerdística, amigos!

Abraços apertados!

No Meio De Tudo: BLINK 182 E Seus Significados!

Olá pessoas.

Como todos sabem, fui/sou grande fã do Blink 182, e com toda certeza fora uma das grandes bandas que moldou esse meu gosto musical, mas o post não é sobre o meu ser inútil. (Amém!)

Recebi um email, contendo um link, e este link me levou a uma SÉRIE DE SIGNIFICADOS das músicas do Blink, explicadas por eles mesmo! Algumas eu já sabia e algumas outras foram uma surpresa bem bacana!

Sei que muita gente não gosta, não conhece, odeia, ou se gosta, não ouve mais, mas tira cinco minutinhos do seu tempo pra ler isso, e depois ouvir as músicas, você vai ver e associar as histórias e isso é uma coisa bem divertida de se fazer.

Separei os significados mais legais, das músicas que mais gosto e segue abaixo:

Música: Anthem

Quem conta: Tom

Anthem é uma música que eu escrevi sobre quando você faz uma festa na sua casa e seus pais chegam em casa e descobrem tudo. Eu fiz isso com um amigo uma vez. Eu queria que minha banda – na época do ensino médio – tocasse na casa do meu amigo. Os pais dele estariam fora de casa até a meia-noite, mas mesmo assim eu contei pra escola inteira que tocaríamos lá. Milhares de pessoas apareceram lá e então todos teriam que ir embora e nós teríamos que limpar tudo antes da meia-noite. Foi muito divertido, mas a polícia apareceu e os pais dele acabaram descobrindo. Ele se encrencou bastante. Eu não acreditava que eu tinha convidado aquela gente toda mesmo sabendo que os pais dele estariam fora só até a meia-noite. O rádio estava quebrado…teve briga, tinha sangue por todo lado. Foi tão divertido!

Música: What’s My Age Again?

Quem conta: Tom

Mark escreveu essa música porque ele tinha 27 anos e ficava rolando no chão, peidando ou algo do tipo na frente de uma garota e achava graça nisso. Ele achava isso totalmente engraçado e a menina ficava tipo “Quantos anos vocês tem?”. E é por isso que ele escreveu essa música.

Música: The Party Song

Quem conta: Tom

Essa música é sobre aquelas festas em que todos ficam bêbados e estúpidos e as garotas tentam ser o centro das atenções, forçando demais a barra e agindo como idiotas. Acho que todos nós já passamos por isso, todo nós já estivemos nessas festas em que todos os garotos ficam babando em cima de três garotas que não se cansam de receber atenção.

Música: Please Take Me Home

Quem conta: Mark

Todo cara se apaixona por uma amiga uma vez na vida. A não ser que você goste de homens e isso é bom também. Enfim, essa música tem influência de uma das minhas bandas favoritas, Fugazi. É uma das minhas músicas favoritas do álbum. Eu acho que soa bem, tem um groove legal. O próximo álbum terá mais músicas tipo essa e Stay Together For The Kids. Essas músicas são divertidas de tocar. Ah sim, garotas roubam corações e comem eles, cuidado meninos.

Música: Everytime I Look For You

Quem conta: Mark

Eu honestamente não faço ideia sobre o que é essa música.

blink 3

Música: Feeling This

Quem conta: Mark e Tom

Mark: Feeling This lida com sexo, os dois lados do sexo. A paixão do momento quando você se sente completamente perdido e o refrão é sobre o lado mais romântico do sexo. É sobre a dualidade do sexo.

Essa foi a primeira música que nós escrevemos para o CD. A batida dos pratos da bateria do Travis no começo da música foi feita à moda antiga, usando duas máquinas de gravação. Em relação à maneira que escrevemos, Tom e eu fomos para dentro de dois quartos separados, e ele escreveu os versos e eu os refrões, sem discutir o conteúdo antes do tempo. Aconteceu que nós dois escrevemos sobre sexo. Dois diferentes lados, o apaixonado, cheio de luxúria (versos) e o romântico (refrões).

Tom: O refrão no qual eu grito foi feito em uma sala de estar de 30 pés com microfones que estavam de 10 a 15 pés de distância de mim.

Música: Down

Quem conta: Mark e Tom

Mark: Essa é a minha música favorita no CD. Travis gravou a bateria em uma sala pequena da casa, usando um microfone velhos dos anos 50. A bateria no refrão foi gravada na sala de gravação principal. Então ele gravou os “fills” separadamente, com o gravador acelerado e super compactado, então quando são tocados na velocidade normal  eles soam muito profundos e gigantescos. O reverso nos vocais foram criados botando-os dentro de um chuveiro.

Tom: A letra que eu escrevi para ”Down” é sobre uma foto que eu tinha na minha cabeça de um garoto e uma garota dentro de um carro enquanto está chovendo lá fora. Então eu imaginei e imaginei a chuva caindo no para-brisa enquanto esse cara está dizendo e pensando essas coisas sobre querer beijá-la e fazê-la ficar.

Música: Go (Amigos, essa música fez total diferença na minha vida!)

Quem conta: Mark e Tom

Mark: Go é uma das minhas favoritas. Fala sobre violência doméstica e é uma música muito forte. A agressividade das guitarras a tornam uma música simples que você pode ouvir no carro, certamente a um bom volume.

Tom: Essa música merece ser tocada alta.

Música: I’m Lost Without You (Não gosto muito da música, mas a idéia é bem interessante!)

Quem conta: Travis e Tom

Travis: O teclado no começo me lembra Pink Floyd ou Failure. Eu acho que os refrões são realmente grandes e liricalmente são alguma coisa que todo mundo pode se identificar. Nós gravamos duas baterias para o final. Uma faixa inteira, e então eu toquei pelo clique. Toquei até não conseguir mais. É alguma coisa que nós sempre queríamos fazer, mas nunca tínhamos conseguido.

Tom: A ideia original dessa música era ter o refrão como verso e não ter refrãos, apenas guitarras gigantes e pesadas. Nós trabalhamos nessa música por cerca de 6 meses e ela foi ficando cada vez melhor e cada vez mais estranha. Essa música é uma das que poderia ser totalmente percebida com fones de ouvido. Para ouvir as 50 e poucas faixas que foram gravadas nessa música, você precisa de um quarto escuro e um ânimo sombrio. Assim que a música acaba, duas baterias tocam uma com a outra e te leva a lugares diferentes, assim como cada um dos versos que foram gravados separadamente um do outro. Um dos quais foi um efeito dos anos 1960 no qual cantava-se por uma caixa de som rotativa. Soa como se eu estivesse embaixo d’água mas é do caralho. A regeneração no meio da música criou uma forma de arte de fazer com que a guitarra soasse apertada e feia. Eu digo forma de arte porque fazer a guitarra soar daquele jeito você precisa constantemente ficar girá-la e virá-la como um acrobata drogado.


Bem, é basicamente isso, pra quem se interessar em ler a matéria inteira e a origem disso tudo ai em cima, o link vai no final.

Até o final de semana!

Muito obrigado se você chegou até aqui!

http://www.action182.com/home/blink182/significado-das-musicas/

Diário De Um Semi-Gamer: Pokemon Fire Red!

Era um dia normal, nublado, sem gosto, um tarde qualquer, quando um pensamento SENSACIONAL chega na minha gigante cabeça: POKEMON. JOGAR. É SINCERO?

Minha mente não produz frases com sentidos, mas já me acostumei com isso. As vezes gera um erro de interpretação.

Enfim, baixei aquele emulador de GBA (Game Boy Advance, para os leigos) e baixei a ROM do Pokemon Fire Red. Veja bem! Existe váaaaaarios Pokemon’s por ai, e esta versão (Fire Red) foi uma das primeiras, na qual jogava em meu singelo e apaixonante Game Boy Color.

E assim, inauguro uma nova “sessão” nesse pseudo-blog, sobre muitas coisas que não fazem a menor diferença pra vida de NINGUÉM, chamada “Diário De Um Semi-Gamer“, e nela só contará pequenos diários (com muitas prints) sobre minha pessoa desfrutando a delícia de se jogar um jogo X, e perder um tempo X da sua vida que JAMAIS voltará.

Essa é a primeira parte de POKEMON FIRE RED.

Pois bem, meus amigos. Iniciei nessa missão maluca de jogar Pokemon com 20 anos de idade. Alguns de vocês podem achar esquisito, mas EU TE GARANTO… é um pouco esquisito mesmo, mas é divertido. Te juro.

Grande Professor Carvalho! Possivelmente um pedófilo de alto nível E status! Vem com aquela ladainha, de amigo aqui, amigo ali, tá tudo meio manjado pelo Giubose! Enfim, todos que já jogaram Pokemon conhece essa figura. Acredito que todos Pokemon’s da primeira geração conta com essa introdução de que você informa seu nome e etc. Sem segredo!

Meu nome é JEREMY, em todos Pokemons que ando jogando atualmente. Só pra deixar claro que estou jogando o Pokemon Crystal paralelamente, em um Game Boy Color de verdade. É bem nostálgico e um excelente passa-tempo no metrô e afins!

3Só coloquei este print, pois parece que estou deitado na caminha com boné. Niiiiiiiiiiiiiiice.

5Eu escolhi o Bulbasaur, ele é pika, e tem uma carinha muito simpática. O problema do Charmander é o Charmeleon. Charmeleon parece ser retardado, seilá, mas confesso que o Charizard é a melhor terceira evolução da primeira geração do Pokemon. Squirtle é aquela menina bonita da sua sala, que quando abre a boca, dá vontade de você atirar com um revolver contra a própria cabeça. Como todo começo maldito do jogo, no labaratório do Carvalho, é necessário lutar contra o Gary (Ou seja qual for o nome que você quis). Eu acho que eu já lutei mais contra o Gary na minha vida inteira, do que fiz QUALQUER OUTRA COISA, inclusive almoçar. E dessa vez eu perdi e foi bem triste. Eu tava no tesão loco de voltar a jogar Pokemon após tanto tempo e me veio essa bad, e reparei que Pokemon nos ensina sobre a VIDA! Estou brincando… talvez.

9Bom, após você andar pelos matinhos e matar alguns queridos Pidgey’s, malditos Rattatas, aprender a usar uma PokeBola, você chega a Viridian Forest, caminho necessário pra chegar no Brock (Dono da GYM da Primeira Insígnia). É um semi-labirinto, e meu subconsciente me ajudou, pois foi bem fácil de atravessar. Mantive somente o Bulbasaur comigo mesmo, apesar de ser loco por Pidgeotto’s. (evolução do Pidgey!)

11Ganhar do Brock foi algo bem fácil. E o querido e fofo Bulbasaur entra em um colpaso nervoso, começa a usar drogas e se transforma em Ivysaur, um Pokemon RIDICULAMENTE feio (sua evolução, é mais feia ainda, mas chegamos lá!)

12Bom, foi algo bem legal de se fazer esse diáriozin. Provavelmente vou continuar com esse save do Pokemon, e assim que for tendo saco pra fazer com outros jogos também vou fazendo. Acredito que irei baixar um emulador de PS1, e farei um diário do Resident Evil 3! Outro jogo épico! (Férias da facul amigos, esperem mais movimento nesse blog-enche-linguiça).

Muito bom jogar Pokemon após tantos anos, provavelmente o jogo mais jogado por mim nessa minha passagem pela Terra.

Até a próxima!

NO MEIO DE TUDO: Tour New Found Glory – 2012

New Found Glory, amigos.

Banda na qual cresci realmente ouvindo. Me lembro de ter uns 13 anos, e ficar o dia INTEIRO no meu quarto jogando video game e ouvindo váaaaarios CD’s dos caras que eu gravava. Me sentia o Rick Bonadio naquela época, falando nisso. Pegava o aparelho de tocar CD escondido da cozinha da minha mãe e ia pro quarto. Rapazeada, não era uma atitude RUIM, ela ouvia Daniel, Leandro e Leonardo e essas coisas. Muito ruim.

Então, em 2008 fora anunciado a primeira turnê deles no Brasil. Foi no ABC PRO HC (foi o último, aliás) , em Novembro. Eu lembro que comprei logo em seguida do anúncio, e nesse festival rolou MUITA banda boa (e ruim, também). Bandas como Gloria (não tão conhecido na época, mas já continha com uma legião fanática de fãs), Hateen, Granada, Cueio Limão e muitas outras! Mas eu tava lá só pelo NFG, mesmo. New Found Glory foi uma banda que me marcou muito, me lembro nitidamente do quanto eu gostava do Stick and Stones, não tinha UMA música ruim! Porém, o post de hoje não é sobre o show de 2008.

Em 2011, fora anunciado um show sensacional também, Sum 41, Pierce The Veil e Four Year Strong. Bão, né? Só que ocorreu um imprevisto, para minha sorte. Derrick, cantor do Sum 41, voltou a ter problemas sérios nas costas e decidiram cancelar a tour pela América Latina, e consequentemente no Brasil. E o que aconteceu? Dois meses depois, anunciaram a Tour 2012 de New Found Glory e Four Year Strong! Me bateu a loucura. Na época eu já trampava quase um ano (isso era em Novembro de 2011 e o show ocorreria em 2012) e pensei nos dias de férias que tinha pendente. Não deu outra, entrei na internet, vi data, preço de passagem, hotel e etc e na semana que vem, agendei minhas férias (de 5 dias) e comprei os ingressos, passagens de avião (que saírem bem baratas por sinal!) e os hóteis.

E fui.

Sozinho, decidi acompanhar a tour daquela banda que sempre me acompanhou na adolescência e MEU DEUS DO CÉU… Foi a melhor coisa que eu poderia ter feito com a grana que tinha economizado, até então.

Não deu pra ir pro Rio, mas pude ir pra Porto Alegre e Curitiba, cidades que jamais havia visitado. O tempo que ficava nas cidades era curto, pois os shows eram sempre nos dias seguintes e foi uma correria lascada, então as horas que passava nas cidades, eu passava andando por elas. Minha cidade preferida foi Porto Alegre, fiquei num hótel no centrão da cidade, e foi engraçado dentro do táxi na volta do show, eu estava muito bêbado, e conversei horrores com o taxista. (Sim, andei de táxi, trabalhei e economizei pra isso, caceta!)

O Parque da Redenção de Porto Alegre foi o meu lugar favorito de toda a viagem.

Sai de SP com destino a Porto Alegre, cheguei em Porto Alegre deixei a mochila no quarto do hótel, e sai pra andar e ouvir o sotaque daora demais daquele povo. Até tentei comprar uma camiseta do Internacional, mas estava muito cara e me satisfiz por comprar uma havaianas (?). É verdade.

Chegada a noite, fui para o local do show e me bateu aquela GOOD TRIP. Viajando sozinho, somente com uma mochilinha pra ver um show de rock, beber cerveja (já que não iria dirigir) e ficar num quarto de hotel. Sensacional, né? Esse show de Porto Alegre foi o melhor da turnê. O local foi no Opinião, casa pequena para um NFG, e a casa lotou. Lembro que lá dentro, quando FYS estava tocando e eu já estava bem legal, bem SINCERO, eu ficava SORRINDO de mostrar todos os dentes de tão feliz que estava. Muito louco pensar nisso.

Tanto o show do FYS, quanto do NFG foram sensacionais. Na época, não era muito fã de FYS, mas hoje já curto mais. E NFG sempre vai ser uma das bandas que encherei a boca pra falar. No melhor sentido, cacete. Acredito que eu posso dizer SINCERAMENTE, que por causa daquele show deles em 2008, eu comecei a gostar pra cacete mesmo, a famosa roda de bate cabeça. Muitos acham uma babaquice, mas na hora, a guitarra pulsando e a bateria fazendo sua mãe tremer, e você cantando uma letra a plenos pulmões que significa muito pra você, você quer pirar, enlouquecer mesmo, e na roda, você pode. E deve. É sensacional levar e dar porrada em alguém, e passar vinte minutos você estar abraçando esse maluquinho porque a banda em cima do palco decidiu tocar sua música favorita, que por acaso também era a música favorita desse estranho com piercing na boca.

De Porto Alegre fui para Curitiba e tive uma surpresa. O show ocorreu no John Music Hall (se não me engano) e o local era tipo, um Hangar 110, só que menor. Quem conhece o Hangar 110 sabe do que to falando. Melhor casa de show indiscutível, mas não é uma casa de show pra suportar o NFG. E ai, veio a segunda surpresa. A casa não chegou nem a lotar. Você se depara com o fato de que, realmente, São Paulo é gigante e sempre tem mais público pra shows, com suas raras exceções, obviamente.

Jordan (Vocalista do NFG)

Jordan (Vocalista do NFG)

Em Curitiba fiz amigos. Porém, só me lembro o nome da menina magrinha e de óculos, Glória. Nome fuerte, mas a bichinha era feia de doer o dedo do pé. Mas era gente boníssima! Me perdi deles ao decorrer do show, encontrei com a Gloria no final do show quando eu estava do lado de fora, sentado na calçada, descansando um pouco. Só demos tchau.

De Curitiba voltei pra SP e fui pro show daqui também. Apesar do que os caras do FYS anunciaram (Que o show de SP tinha sido o melhor da turnê), eu não concordo. Em Porto Alegre eu me senti mais a vontade e o público parecia mais FÃ DE VERDADE. Seilá, eu tava bêbado, então não me levem muito a sério. Em São Paulo, se pode notar CLARAMENTE como o FYS estava MUERTO. Engraçado.

Enfim, faz tempo que queria fazer um post sobre essa loucura que fiz.

Agora, estou fazendo uma planilha de cálculos pra economizar o bastante pra acompanhar a tour INTEIRA de uma possível aparição do A Day To Remember aqui no Brasil, ano que vem. Oremos!

Bem, é isso, hoje não teve HITOLINHA, falei mais de mim mesmo. A vida anda muito depressa hoje em dia, mas estou tentando me acalmar e vir aqui pra conversar com a INTERNÊ.

Obrigado por lerem. (0 pessoas)

UM VÍDEOZINHO DA PRIMEIRA MÚSICA QUE OUVI DELES, SENDO TOCADA NO OPINIÃO (LUGAR SENSACIONAL!) EM PORTO ALEGRE, NESTA VIAGEM!

Aqui Faz Muito Frio

Ela acordou aquele dia e sabia o que iria fazer. O miojo queimado na panela sabia o que ela iria fazer. O espelho do banheiro quebrado sabia o que ela ia fazer. A tiara que nunca mais pousou na sua cabeça, também sabia o que ela ia fazer.

Era meio dia, e o sol estava um pouco mais cinza. Ele estava triste pois ele também sabia o que ela ia fazer. Ela foi abrir a geladeira, mas a porta estava dura demais. A geladeira também queria adiar o momento trágico. Com muita força ela conseguiu e se sentou tomando um suco de laranja na bancada de seu apartamento.

12:27

O sol brilhava mais agora, e ela havia deixado de esperar sentada. Ela vai até a sala e passa pela varanda. Liga a TV e deita no sofá. Alguém teria que notar. O espelho, o miojo, a tiara, a caixa do suco, não adiantavam de nada. Eles não falavam e ela não ouvia. Ninguém. Ninguém notava e ninguém esperava. Ela estava decidida, não havia luz no fim do túnel, e o nascer do sol ficara feio depois que aquele menino fora embora.

“De tarde é melhor.”

Ela foi até a varanda, o piso de mármore estava tão gelado que fez a espinha tremer. As buzinas, o vento e os prédios, todos ali e lá fora, no ar, um som, parado, ela teve a sensação que os prédios do outro lado da rua estavam observado-a. Mas eles também não falavam nada. Ela colocou as mãos na bancada que interligava a sacada e o nada. Ela olha pra dentro do apartamento. Ela tinha escolhido o nada. Secretamente, ela tinha esperança de ver seu pai entrando pela porta e impedindo ela de fazer o que quer que ela iria fazer. Ela espera. A porta continuou fechada.

E foi ali que o apartamento ficou em preto e branco. Assustada, ela percebeu que ali, foi onde tudo mudou.

Ela olhou de volta para lá fora, e viu a si mesma caindo, lentamente, viu a si mesma caindo, andar por andar, ela se viu. E ela? O desespero tomou conta e ela começou a respirar de uma forma que jamais havia experimentado. Acelerada. O coração parecia estar sendo arrancado de seu peito sem uma sequer anestesia. Ela se vira e tenta entrar no apartamento, mas não conseguiu. Tinha uma barreira de força maior que a impedia. Ela estava ali naquela varanda, sozinha, olhando a si mesma caindo pro nada. Ela não queria mais o nada. Ela queria voltar! Ela havia errado e queria outra chance! Quem haverá cortado a possibilidade da segunda chance dela? Ela gritava sem parar, pedia pelo pai, pela mãe, pelo ex-namorado, pelos amigos que não via faz tempo e pelos professores do ensino médio que tanto odiava. Ela tinha cortado sua própria segunda chance.

Ela subiu na sacada. Ela não via mais a si mesma caindo, e via agora o nada, o tudo, o pra sempre, o passado, o futuro, todos ali, sentados no ar a sua frente, cada um representado por uma pessoa. Eles estavam ali pra ver. Pra constatar o que realmente ocorrerá. Para ajudá-la. A perna esquerda dela começa a tremer descontroladamente e então ela escorrega e entra no tubo de um caminho sem fim. O nada.

Ela de costas, olhando o céu enquanto caia. Ela não pensava em nada a não ser na dor. Uma dor nova que chegou no momento que ela escorregou e aceitou.

Foram quatro segundos.

E foi isso.

13:28

Nunca mais ela teria outro minuto. Muito menos outro segundo.

E assim, se foi, como um objeto que deixa de existir, ela deixou de respirar, como uma estrela que deixa de brilhar, como a vela que ilumina até apagar na metade. Essa vela não acenderá novamente, essa estrela não brilhará novamente.

Foram queimadas.

Esse mar deixou de ser grande. E aquela varanda deixou de ser uma varanda.

13:28

———————————————————————–

Pessoal, peço encarecidamente para rezarem pelo espírito de Natália Neves que faleceu neste último final de semana. Todos meus pensamentos estão com ela, seus amigos e seus familiares. Por favor, rezem.

“Once you know you are worthy and your story is worthy, you fight for other stories.” — Jedidiah Jenkins